sábado, 31 de maio de 2014

Penseira

Quem gosta de Harry Potter deve entender de cara o título deste post. Pooois é exatamente isso. Falta um mês para meu aniversário e, se eu pudesse pedir um presente especial, seria uma penseira... De preferência, uma BEM grande... 
Cada dia que passa se torna mais difícil esta espera por Portugal, a incerteza de que vou conseguir ficar lá, se conseguirei concluir meu mestrado e tudo mais que ocupa minha cabeça 24h por dia. Mas... Bom... Para ficar legal, deixe-me explicar do começo... Como ficou muito grande, vou dividir em 2 partes... 

A História da Anne - Parte I
Anne é uma menina sonhadora, determinada e que tem um grande sonho: viver e estudar na Europa... Parece conto de fadas e é assim que inicia minha história. Sou uma pessoa com muitos sonhos, força de vontade e determinação e foi essa determinação que me fez conseguir uma bolsa de estudos em uma das universidades mais caras do Rio de Janeiro. Lá, descobri que o mundo é bem maior do que meus olhos podiam enxergar e, com muita ajuda e controle, realizei um sonho que jamais imaginei que sairia da minha cabeça um dia: Conheci a Europa.
No final de 2010 eu viajei para Atenas, Roma, Londres e Veneza. Juntei uma grana e fui! Foram 23 dias em um estado que poderia ser comparado ao êxtase de acordar depois de uma maravilhosa noite de sono relaxante, num sábado com clima muito agradável e o dia todo livre e com muitas coisas gostosas para fazer... O fascínio foi tão grande, instantâneo e (por que não repetir?!) tão imensamente grande que voltei para o Brasil decidida que não passaria nem mais um ano aqui, e assim foi.
Passei 2011 no maior estresse que já tive na vida, me inscrevi para uma bolsa de estudos para Madrid, corri atrás, estudei espanhol feito louca, engordei como nunca havia engordado na vida, provei por A+B que eu era a candidata perfeita e, em janeiro de 2012, embarquei para minha viagem de intercâmbio! Não consigo descrever em palavras a emoção que senti. Ainda consigo me lembrar de quando entrei no avião aqui no Galeão, da sensação de correr como louca para pegar a conexão em Londres...
Mas a sensação mais incrível foi olhar para o grande edifício iluminado da Praça Cibeles e ter certeza de que eu estava no lugar que deveria estar. Estávamos passando de ônibus pelo edifício, chegando do aeroporto, quando eu virei para meu colega de apartamento e disse: "Já decidi, é aqui onde farei meu mestrado, é aqui onde quero morar".
Voltei da primeira viagem (aquela de 2010) decidida a fazer meu mestrado na Europa (e meu doutorado e, de preferência, voltar só para visitar a família. Mas se eu conseguisse só o mestrado, já estava de bom tamanho). Percebi que o antes era um sonho distante, poderia virar uma realidade palpável para mim (e sou daquelas que quando encasquetam com alguma coisa, já era... É melhor sair da frente e me deixar passar). Voltei do intercâmbio determinada a voltar para a Europa e, novamente, disse: "de um ano não passa"!
Mas como a vida real não é um conto de fadas, cá estou, diretamente do caos do Rio de Janeiro, escrevendo este post para você, estimado leitor.
Se você chegou até aqui deve estar pensando: "Mas o que, afinal, tem isso tudo a ver com a história da penseira e de Portugal?!" Pois vamos a parte II

Nenhum comentário:

Postar um comentário